Em duas semanas, o PDT catarinense viveu o alvoroço da expulsão da deputada estadual Paulinha e da filiação do ex-deputado federal e estadual Fernando Coruja como opção para candidatura majoritária em 2022. Agora, o diretório de São José da sigla também decidiu entrar no debate sobre o futuro do partido. Para isso, lançou o nome do ex-vereador josefense Moacir da Silva como pré-candidato a governador.

– Por aqui é unânime que precisamos lançar candidato a governo, ainda mais depois da expulsão da Paulinha, pois não faz sentido um discurso e outra prática –  diz o vereador e presidente municipal do PDT, André Guesser.

Ele se refere à justificativa dada para a expulsão de Paulinha, que foi a participação da parlamentar como líder do governo Carlos Moisés (PSL) na Assembleia Legislativa ao longo de 2020. Guesser defende que o PDT deve ter candidatura própria ao governo para ampliar representatividade da sigla e dar suporte à candidatura presidencial de Ciro Gomes (PDT).

– Moacir ficou em terceiro lugar na eleição Municipal de 2020, na frente de partidos como PSDB, Patriota, Republicano, PL, Novo e PT – afirma.

Sobre a filiação de Coruja, o vereador disse que é “nome respeitado” e que sua presença na sigla é “importante para abrir o debate”.


Sobre a foto em destaque:

Moacir da Silva foi vereador em São José e disputou a prefeitura em 2020 pelo PDT, quando ficou em terceiro lugar com 12,3% dos votos. Ele foi lançado como pré-candidato do partido ao governo pelo vereador André Guesser, à direita na foto de Antônio Rossa, da campanha eleitoral dos pedetistas.