Expulsa do PDT após 32 anos de filiação, a deputada estadual Paulinha não mediu as palavras nas críticas à decisão tomada pela direção nacional do partido, mas construída entre os dirigentes catarinenses da sigla. Em entrevista a Upiara Boschi e Adelor Lessa, na rádio Som Maior, a parlamentar disse que a legenda de Leonel Brizola ” se entregou a tudo aquilo que ele combate, que fala uma coisa e diz outra sem a menor vergonha”.

A decisão da Comissão de Ética do partido teve como base a acusação de que Paulinha reiteradamente descumpriu decisões partidárias, especialmente quando aceitou assumir o cargo de líder do governo Carlos Moisés na Assembleia Legislativa. A ex-pedetista deixou o cargo no final do ano passado, o que não foi suficiente para encerrar a questão internamente. Paulinha diz que não se arrepende de ter assumido o posto e que o PDT catarinense só reagiu porque queria cargos no governo.

– Não me arrependo. Primeiro porque havia uma aproximação (do partido com Moisés). Segundo, porque tive anuência do Rodrigo Minotto (PDT), que era nosso deputado. Terceiro, porque me foi dada a opção de ficar líder se eu chamasse Moisés e pedisse alguns cargos e espaços em troca – acusou a parlamentar.

Paulinha também disse que teria sido oferecida a ela a oportunidade de permanecer na sigla, desde que não disputasse a reeleição, favorecendo a candidatura de Minotto. Ela não citou o nome do presidente estadual do partido, Manoel Dias, em toda a entrevista. A relação entre eles vinha desgastada desde a eleição de 2018, quando Maneca tentou, sem sucesso, uma vaga na Câmara dos Deputados.

– O PDT é o maior ex-partido do Brasil. Muita gente já militou no partido, continua sendo brizolista de coração e alma, mas não figura mais nos quadros partidários por razões semelhantes. Pela falta de exercício da democracia e pelo jeito muito radical, muito coronelista de aparar as questões partidárias.

A deputada disse que vai decidir com calma seu futuro partidário e buscar um novo projeto. Ela tem conversas com MDB, Podemos e DEM.

– Meus 32 anos anos de filiação partidária já mostram que não sou uma pessoa de ficar mudando toda hora

Ouça a íntegra no player abaixo.


Ouça Upiara Boschi na Som Maior, de segunda a quinta, entre 7h30 e 8h.


Sobre a foto em destaque:

Paulinha foi expulsa do PDT e deixa a legenda com críticas ao “jeito coronelista de aparar questões partidárias”. Foto: Rodolfo Espínola, Agência AL.