As redes sociais receberam com o humor debochado de costume o anúncio de que o empresário João Amoêdo, fundador e primeiro candidato a presidente pelo Novo, aceitara convite da legenda para ser mais uma vez candidato em 2022. Algo como “Amoêdo convida Amoêdo” deu o tom da brincadeira. No entanto, se depender dos parlamentares do partido em Santa Catarina, a piada não tem essa graça toda. Geralmente contrários às posições que o presidenciável mantém nas redes sociais, especialmente a postura permanentemente crítica ao governo do presidente Jair Bolsonaro (sem) partido, o Novo catarinense tem outro pré-candidato.

O deputado federal Gilson Marques e o deputado estadual Bruno Souza saíram em defesa da pré-candidatura de Tiago Mitraud, deputado federal pelo Novo de Minas Gerais. Ao Estadão, Gilson Marques falou como integrante da ala do partido que reúne assinaturas para viabilizar a pré-candidatura do colega mineiro.  Pelas regras do Novo, o convite para um filiado concorrer a presidente da República precisa da assinatura de 21 dos 40 integrantes da direção nacional da legenda. Amoêdo conseguiu 36 assinaturas.

– Acredito que já temos mais de 13 assinaturas. Ele é o melhor deputado do Brasil, um cara sensacional – disse Marques ao Estadão.

No Twitter, Bruno Souza comentou o aceite de Amoêdo à pré-candidatura expondo suas restrições.

– Que seja o primeiro de vários pré-candidatos. Quem defende o livre mercado sabe que é sempre bom ter opções. De todos os excelentes quadros do partido, meu preferido seria o Tiago Mitraud.


Sobre a foto em destaque:

Fundador do Novo, o empresário João Amoêdo tem respaldo na cúpula nacional da legenda para concorrer novamente a presidente, mas enfrenta resistências em Santa Catarina, onde lideranças têm manifestado preferência pelo deputado federal mineiro Tiago Mitraud. A foto é do Flickr de Amoêdo.