O deputado estadual Marquito (PSOL) divulgou relato da visita que fez à Terra Indígena Laklãnõ Xokleng de José Boiteux na semana passada, antes da nova onda de fortes chuvas no Estado.

– O cenário já era desolador. Voltei realmente consternado. No caminho para a capital, vim fazendo telefonemas e paradas para tentar obter ajudas. Ainda faltam médicos. Faltam abrigos adequados. Nós encontramos quase 100 famílias vivendo debaixo de lona, lidando com calor, chuva e ventania, e sem banheiros. De acordo com o deputado, a população local está claramente adoecida.

Segundo o deputado, há 480 crianças sem escola para ir, pois a estrutura da escola foi comprometida. Crianças e jovens teriam sido orientados a fazer teleaula, “mas a situação é bastante precária para tal”.

– Muitas pessoas estão sem água encanada. Há falta de água apropriada para beber. Cada família tem recebido 20 litros de água por semana. Quando acaba, todos usam uma água que parece bastante ruim.

Agrônomo e parlamentar atuante nas pautas relacionadas à agricultura e segurança alimentar, Marquito contou também que muitas famílias perderam suas roças, ficando impossibilitadas de produzirem alimentos.

– Essa é uma informação muito importante, pois o governador andou implicitando que os indígenas de José Boiteux estariam recebendo cestas básicas em excesso – disse, em referência à visita do governador Jorginho Mello (PL).

O deputado ainda ressalta o impacto emocional dos traumas que essas pessoas enfrentaram nos últimos meses, desde a primeira cheia, no início de outubro.

– Deslocadas de seus lares e suas vidas pelas chuvas e pelo fechamento da Barragem Norte, essa população vive uma real crise humanitária.

Há órgãos federais, estaduais e municipais atuando em José Boiteux. Marquito destaca uma lacuna de comunicação entre os diferentes atores, dificultando o trabalho, e “muita limitação financeira dos municípios da região”.

Nesta terça-feira, o parlamentar lança o Fórum Parlamentar de Justiça do Bem Viver Teko Porã, às 13h, no Plenarinho da Assembleia Legislativa de Santa Catarina, com a presença da ministra dos Povos Indígenas, Sonia Guajajara, da Caravana do MPI e também de diversas lideranças da Articulação dos Povos Indígenas da Região Sul (Arpinsul).


Sobre a imagem em destaque:

Foto: Rony Costa

Compartilhar publicação: