Reportagem do Valor Econômico desta sexta-feira coloca o senador catarinense Jorginho Mello (PL) como candidato a ministro do governo Jair Bolsonaro (sem partido). Um rearranjo na Esplanada dos Ministérios seria realizado para contemplar os senadores governistas, que cobram maior espaço na administração.

O nome do catarinense foi lembrado por sua atuação na CPI da Covid. O foco seria a Secretaria de Governo, pasta em que a atuação da ministra Flávia Arruda (PL-DF) teria desagradado senadores governistas e bancada evangélica. Ela é indicação do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL) e mulher do ex-governador José Roberto Arruda, do Distrito Federal.

À reportagem do Valor, Jorginho Mello disse apenas que está à disposição do presidente Bolsonaro e que é “um soldado” do governo. Caso deixe o Senado para ocupar um ministério, Jorginho abriria vaga para a suplente Ivete da Silveira (MDB), viúva do ex-governador e ex-senador Luiz Henrique da Silveira.


Sobre a foto em destaque:

Atuação de Jorginho Mello na CPI da Covid e elogio de Carlos Bolsonaro teriam colaborado para a especulação de que o catarinense possa assumir uma vaga no ministério de Jair Bolsonaro, segundo o jornal Valor Econômico. Foto: Edilson Rodrigues, Agência Senado.