A Câmara de Vereadores de Imbituba cassou o mandato do prefeito Rosenvaldo da Silva (PSB) em sessão extraordinária na noite de terça-feira. A denúncia, movida por um cidadão, incumbe a Rosenvaldo e o vice Antônio Clésio Costa (PP) o crime de omissão na gestão de recursos públicos repassados pelo Governo do Estado por estes supostamente não responderem a requerimentos enviados pelo Legislativo da cidade.

Após apresentação do dossiê, em agosto, os vereadores acataram ao pedido e instalaram uma Comissão Processante presidida pelo parlamenta Bruno Pacheco (PSB); Humberto Carlos dos Santos (PSB) foi o relator e Eduardo Faustina (PP) completou a trinca.

Levantamentos e depoimentos apontados no relatório final apontaram pela improcedência da denúncia. A conclusão foi apresentada na última terça-feira e foi aprovada pela maioria. Na ocasião Pacheco, presidente da Comissão, afirmou que o relatório não dava outra “alternativa que não a absolvição dos denunciados”.

Apesar disso, os parlamentares votaram favoravelmente ao afastamento do prefeito. Antônio Clésio Costa – o Clésio do Marcão, foi absolvido com voto de Elisio Sgrott (PP) e assume a prefeitura enquanto Rosenvaldo recorre na Justiça.

A defesa do prefeito afirma que é “inadmissível que em um estado democrático de direito, decisões sem provas sejam tomadas em nome da “legalidade” e que fará o possível para reverter a decisão.

– A história contada às futuras gerações será rigorosa para com aqueles que colocaram seus interesses particulares sobre a democracia. A defesa tomará todas as medidas cabíveis para garantir o retorno do Prefeito Rosenvaldo da Silva Junior ao Poder Executivo da cidade de Imbituba, e com isso, permitir com que ele possa terminar o mandato pelo qual foi eleito democraticamente.

Por meio de nota oficial, o PSB catarinense manifestou “indignação com a arbitrária cassação” e a classifica como uma manobra política em curso em Imbituba.

– Note-se que o próprio autor da “denúncia” não compareceu a nenhuma fase do processo e, tampouco, à fatídica sessão extraordinária da Câmara de Vereadores, realizada na calada da noite de terça-feira, 14. Esta cassação política resulta de inequívoco e flagrante ataque ao direito de defesa e às garantias constitucionais e será objeto de recurso ao Poder Judiciário, guardião do Estado Democrático de Direito contra ações arbitrárias e o casuísmo político, há apenas onze meses das eleições municipais – diz o documento assinado pelo presidente estadual do partido, Cláudio Vignatti.

Outras lideranças locais manifestaram apoio a Rosenvaldo. Entre elas, Jean Ricardo (PSB), vereador e pré-candidato a prefeito de Garopaba.

– Toda a minha solidariedade ao companheiro Rosenvaldo Júnior (PSB), de Imbituba, que nesta noite teve seu mandato cassado. Quem defende a democracia se indigna diante a injustiça. A atuação de Rosenvaldo frente a pandemia foi exemplar e muitas vidas foram salvas pela sua responsabilidade.

Compartilhar publicação: